segunda-feira, 26 de Maio de 2008

Psicologia Organizacional


A psicologia Organizacional iniciou-se na década de 30, com a formação de psicotécnicos. Na sua maioria eram engenheiros que se dedicavam aos problemas de ajustamento humano ao trabalho, mas é a partir da obra do autor Emilio Mina y Lopez, que se formou realmente na década de 50, a psicologia organizacional também conhecida por psicologia do trabalho. A partir da década de 50 o trabalhador deixou de ser visto como isolado e a psicologia organizacional passou a ser vista como uma fonte de variáveis, as quais deviam ser consideradas no processo de ajustamento do trabalho.
O enquadramento do trabalho na vida do homem levou à criação desta área da psicologia.Este ramo da Psicologia aplicada, inicialmente denominada como Psicologia Industrial, estuda os fenómenos psicológicos presentes nas organizações, e actua sobre os problemas organizacionais ligados à gestão de recursos humanos ou gestão de pessoas.[1]
Desde o nascimento até à morte vivemos em organizações. Para se compreender o comportamento dos membros de uma organização, segundo os psicólogos organizacionais, temos de analisar os seus caracteres individuais, as suas características sociais e ter em conta o factor organizacional.
Devido às grandes mudanças nos nossos dias as organizações do trabalho têm tido fortes repercussões, sendo assim mais comum a presença de um psicólogo organizacional
A psicologia do trabalho, por exemplo, em empresas é essencial, pois é uma boa forma de intervenção para melhor a gestão dos recursos humanos sendo feita a partir da compreensão do clima e da cultura organizacional.

A progressiva complexidade do trabalho levou a que a psicologia do trabalho e das organizações dividisse a sua reflexão em três domínios:
-A psicologia do pessoal: aborda questões relacionadas com a selecção de pessoal, a orientação e o desenvolvimento de carreiras, a avaliação do desempenho, etc.
-A psicologia do trabalho: aborda questões como a interacção homem/máquina, a organização do trabalho, a saúde e a segurança.
-A psicologia das organizações: aborda questões como a motivação, a liderança, as relações interpessoais e a gestão de conflitos.
A sociedade é considerada uma organização influenciadora dos indivíduos, por exemplo nas suas maneiras de vestir, de comer, de trabalhar, etc. Contudo, esta organização também recebe influencia de seu influenciado, com isso percebe-se que a sociedade moderna é uma sociedade de organizações humanas.
Para satisfazer as necessidades de uma organização o psicólogo deve conhecer a dinâmica de funcionamento do local, ter conhecimentos em relação á administração de recursos humanos, deve tomar medidas de modo a conciliar os meios da empresa e funcionários e repensar alternativas e abordagens para a resolução de problemas ou conflitos existentes.
Podemos encontrar um psicólogo organizacional em empresas, instituições, organismos profissionais, associações e clubes.
Tradicionalmente, as principais áreas da psicologia organizacional são: recrutamento, selecção de pessoal e diagnóstico organizacional.Existem muitas e diversificadas organizações, estas têm grande influência sobre a vida dos indivíduos.
Actualmente o psicólogo Organizacional conquistou seu “espaço”, através de um bom trabalho, perseverança e competência, mostrando-se um elemento fundamental e de grande importância dentro de uma empresa.
Assim a diversidade de actuação do psicólogo Organizacional expandiu-se, obtendo-se um repertório muito grande de actividades atribuídas a estes profissionais da psicologia.
O Papel do Psicólogo Organizacional é fundamental nas organizações para atingir-se níveis satisfatórios de desempenho no trabalho e um bom ambiente.
A principal função do psicólogo é trabalhar de forma, a não esquecer que cada ser humano tem sua individualidade e que esta, reflecte-se na organização em que se encontra, por isso a organização acaba por ser considerada única e individual onde a cada dia o profissional depara-se com uma nova “empreitada com suas individualidades” e assim o psicólogo utiliza todo o seu profissionalismo com o propósito de atender a dinâmica da organização.


Dentro das variadas funções que o psicólogo Organizacional pode realizar com competência destacam-se actividades como:- Recrutamento e selecção de pessoal; - Elaborar, executar e avaliar, numa equipa profissional, programas de qualificação e formação de mão-de-obra; - Participar, assessorar, acompanhar e elaborar instrumentos para avaliar o pessoal da organização em questão; - Planear, coordenar, executar e avaliar programas de qualificação, capacitação e desenvolvimento de recursos humanos; - Investir programas educacionais, culturais, recreativos e de higiene mental, com vistas a assegurar a preservação da saúde e a qualidade de vida do trabalhador; - Encaminhar e orientar os empregados e as organizações; - Coordenar e supervisionar as actividades de psicologia Organizacional; - Participar no processo de desligamento de funcionários; - Analisar cargos e salários;
-Realizar pesquisas sobre os sentimentos e emoções dos funcionários.


“A nossa sociedade é uma sociedade
organizacional. Nascemos em organizações,
somos educados em organizações e a maioria das
pessoas consome grande parte da vida a
trabalhar em organizações. A maioria morrerá
numa organização e, quando chega o momento do
enterro, a maior organização de todas – o Estado
– tem de dar autorização oficial”[2]


____________________________
[1] Site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Psicologia_industrial
[2] Site: http://pt.shvoong.com/social-sciences/psychology/1809930-introduçao-relatorio-psicologia-organizacional/